Grande São Paulo

(11) 5572-2611

Grande ABC

(11) 4438-6424

Demais localidades (de fixo)

0300 777 2611

Sede/Matriz

(11) 5572-2611

Grande ABC

(11) 4438-6424

Grande SP

(11) 5549-0798

Faça as pazes com a comida

Comportamento
Faça as pazes com a comida

Quantas pessoas travam, praticamente, uma batalha com a comida? É aquela relação de amor e ódio: ao mesmo tempo que a amam e sentem prazer ao comer determinados alimentos, logo vem a raiva e a culpa quando estão diante da balança.

E, juntamente com essa relação caótica, vem o efeito sanfona de emagrecer e depois engordar tudo de novo e até mais.

Mas, por que as pessoas travam guerras contra a comida, se é ela a fonte de saúde do nosso organismo e deveria ser o nosso aliado e não o nosso inimigo no emagrecimento?

A grande verdade é que, na loucura por emagrecer de forma imediatista, as pessoas fazem loucuras com a alimentação e se submetem a dietas restritivas demais, lowcarb, dieta da lua, da sopa, jejum intermitente, shakes, etc.

 

O lado emocional prejudicial dessa batalha

O que as pessoas não sabem é que quando elas adotam medidas tão radicais como as dietas restritivas, acontecem alguns mecanismos em seu cérebro:

  1. Ele é muito sábio e, diante de situações de restrições, ele entende que tal alimento banido, como por exemplo, os carboidratos, estão em escassez. Como forma de equilibrar essa ‘falta’, o organismo passa a estocar, além do normal, praticamente toda caloria ingerida.
  2. Aumenta a compulsão pela comida, pois o estado emocional está em desequilíbrio. Assim, a pessoa entra ainda mais no ciclo vicioso de “privação – abuso – culpa”, pois não consegue dominar seus impulsos quando está diante de situações como: churrasco, rodízios, festas, finais de semana.
  3. Tira e leveza da vida, afinal, com a restrição de certos alimentos, a grande maioria das pessoas acaba sentindo tristeza por não poder comer os alimentos que gosta, pois são banidos quando estão em dietas restritivas. Sem a ‘alegria do comer as coisas gostosas’, o estresse aumenta e a sensação de sacrifício é exacerbada.
  4. O processo de um emagrecimento sustentável é mais difícil de acontecer. A privação pode emagrecer a curto prazo, mas, assim que a pessoa tiver a primeira compulsão pela comida, todo o esforço terá sido em vão. Ela volta a engordar e às vezes até mais do que tinha eliminado.
  5. A saúde é prejudicada, pois, o nosso organismo precisa de todos os grupos alimentares – de forma equilibrada – para ser nutrido corretamente. Consequentemente, as dietas restritivas podem gerar problemas como falta de disposição, cansaço, falta de ânimo e falta de determinados nutrientes, que foram eliminados das dietas.

 

Mas, como fazer as pazes com a comida?

Primeiro de tudo é observar que o equilíbrio é a base de tudo e não deve ser diferente com o nosso organismo, que precisa – sim – dos nutrientes de todos os grupos alimentares: proteínas, carboidratos, verduras, legumes, frutas e gorduras.

E é exatamente esse equilíbrio em nosso organismo, estudado e pesquisado ao longo de anos pela Química e pesquisadora Maria Eliza Zuccon, que resultou no programa alimentar  e no surgimento do Método Tático de Reabilitação Alimentar (Meta Real).

E por que reabilitação alimentar? Porque as pessoas não sabem como comer, que é a quantidade correta dos grupos alimentares, o tempo correto para cada refeição, tempo da mastigação, saber reconhecer os sinais do corpo: da fome-física, diferenciando-a da emocional, da sede ou da saciedade.

E somente com os ensinamentos da reeducação alimentar é que é possível incluir as coisas “gostosas de comer” sem prejudicar o peso e, assim, eliminando a compulsão de comer.

“Mas, vale lembrar que tudo é um treino de novos hábitos, pois a vida inteira as pessoas viveram rotinas desreguladas, com percepção zero dos sinais do próprio corpo, condicionadas a alimentar a fome emocional do que a fome-física. Então é preciso que as pazes com as coisas de comer seja de forma respeitosa, com paciência e persistência, aos poucos, um passo de cada vez para que os aprendizados sejam consolidados no dia a dia”, explica a coordenadora da Meta Real, Roseli Luz.

E ‘fazer as pazes com a comida’ é algo muito mais profundo do que parece, afinal, a compulsão é muito mais emocional do que uma questão física. Exatamente por isso que é fundamental que o aluno participe das nossas aulas presenciais, onde passamos toda a metodologia e como usar o nosso programa alimentar.

 

Pizza, sorvete, pão, bolo, chocolate

E tudo isso pode? Sim, dentro do programa alimentar da Meta Real há as quantidades adequadas de cada alimento desses para que o aluno consiga ingerir o que deseja e o melhor: sem comprometer o seu processo de emagrecimento!

“O que as pessoas precisam lembrar sempre é na questão do equilíbrio. Por exemplo: se o alimento ingerido é rico em gordura, como um pedaço de pizza, para equilibrar a refeição é interessante aumentar a quantidade de verduras e fibras, então complementaria com uma salada e uma porção fruta”, exemplifica Roseli.

E são situações como essa, do dia a dia, que o programa da Meta Real ensina os alunos a fazerem as pazes com a comida – sem privações, sem dietas restritivas e sem culpa, comendo o que gostam e ainda emagrecendo com saúde e leveza!

Faça você também as pazes com as coisas de comer! Venha, sem compromisso, assistir uma aula nossa para conhecer a profundidade do nosso trabalho!

Compartilhe:  
Deixe o seu comentário

Publicações Relacionadas

 

 

banner-livro

 

 

Meta Real na mídia

Revista Plástica e Beleza
edição 58 /2016

Ver edição
Como Funciona?

Venha ser aluno da Meta Real: o Método Tático de Reabilitação Alimentar que vai acompanhar você passo a passo na sua jornada.

Conheça Agora
  • Maria Nelci Presente Passos

    Meta Real Maria Nelci Presente Passos

    “EMAGRECI, comendo coisas gostosas, o que nas outras dietas eram sempre proibidas.”

  • Mariana Campanha Pozatto

    Meta Real Mariana Campanha Pozatto

    “Comecei a observar… “Que regime louco esse em que se pode comer de 5 em 5 horas… O correto não é de três em três? Nossa, mas pode comer tudo isso?!””

  • Elaine Casanti

    Meta Real Elaine Casanti

    “ Meta Real foi um divisor de águas em minha vida, agrego o que aprendi em muitas coisas que vivo, principalmente a tal da RESILIÊNCIA !”

  • Nadia Junqueira

    Meta Real Nadia Junqueira

    “ Fiquei tão grata e tão feliz com minha nova vida que pensei em dividir com tantas outras pessoas que passam pelas mesmas situações e etapas que eu passei.”

  • Marcella Canto

    Meta Real Marcella Canto

    “Quero ser LEVE! Além de magra, quero deixar bem longe de mim todos os sentimentos que não me faziam bem.”